ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

UTAO garante que "nenhuma pensão ficará por pagar" devido à "redução artificial" da dívida
10-07-2024 17:00

O coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), Rui Baleiras, garantiu esta quarta-feira que nenhuma pensão ficará por pagar devido à operação especial levada a cabo pelo ex-ministro das Finanças, Fernando Medina, que permitiu descer o rácio da dívida pública "de forma artificial" para um valor abaixo dos 100% do PIB em 2023.

"Não se deixou de pagar nenhuma pensão no ano de 2023 nem se deixará de pagar em anos futuros pelo facto de excedentes, receita fiscal consignada e até os próprios resultados de gestão das carteiras desses fundos terem sido aplicados a investimento em dívida pública", assegurou o coordenador da UTAO, em audição na Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública (COFAP), no Parlamento.

O coordenador da UTAO respondia assim a uma pergunta colocada pelo líder parlamentar do CDS-PP, Paulo Núncio, sobre se teriam sido "desviados recursos que estavam destinados a pagar pensões para reduzir a dívida pública". 

Em causa está uma notícia avançada pelo Eco de que Fernando Medina conseguiu baixar o rácio da dívida pública para um nível histórico de 99,1% do PIB com o dinheiro das pensões futuras dos portugueses. Segundo o jornal, através do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS) e da Caixa Geral de Aposentações (CGA), foram investidos mais de 7,7 mil milhões de euros na aquisição de títulos de dívida da República, nomeadamente de Obrigações do Tesouro (OT).

Rui Baleiras desmentiu essa informação e acrescentou, por outro lado, que é questionável "até que ponto é prudente levar a exposição dessas carteiras [de ativos das administrações públicas] a um único tipo de ativo". "Mas isso é outro assunto. São outros quinhentos. Sei que ocupou muito tempo na outra audição [ao ex-ministro Fernando Medina em maio] mas não quero acrescentar nada sobre isso", sublinhou.

Sobre a redução da dívida pública, Rui Baleiras reiterou que essa é "artificial", devido à compra excecional de títulos de dívida por parte de entidades públicas. "É artificial a descida como é artificial a subida que se seguiu, porque há entidades que já venderam esses ativos no mercado secundário. Mas isso é normal. São opções de gestão, que foram subvalorizadas por esta comissão", afirmou.

Disse ainda que, sem a compra de títulos de dívida por parte das administrações públicas, a dívida pública teria ficado "aritmeticamente acima dos 100% do PIB".

Aeroportos e outros serviços voltam à normalidade após falha informática global
20-07-2024 18:51

Sindicato despeja o promotor do mais mítico torneio de futebol infantil de Portugal
20-07-2024 18:41

Mayan candidata-se à liderança da Iniciativa Liberal para tornar o partido ambicioso
20-07-2024 17:07

BCE quer bancos alinhados com combate às alterações climáticas
20-07-2024 17:00

Israelitas reforçam investimento de luxo na foz de Gaia com T3 a chegar aos 1,7 milhões
20-07-2024 16:15

Apoios para janelas e painéis solares: Governo começa a pagar, finalmente
20-07-2024 15:34

Antiga deputada ucraniana assassinada na rua em Lviv
20-07-2024 15:05

Nigéria aplica coima de 202 milhões à Meta por violação de proteção de dados
20-07-2024 14:47

Guiné Equatorial assume gestão de campo petrolífero da Exxon Mobil
20-07-2024 12:46

Opções de compra de ações funcionam como incentivo a trabalhadores de startups europeias
20-07-2024 12:00

Tribunal Arbitral decreta serviços mínimos para greve na CP dias 22 e 24 de julho
20-07-2024 11:47

O Simplex do PSD. As medidas para a digitalização em três minutos
20-07-2024 10:00

Representantes do G20 discutem aliança contra a fome e imposto para super-ricos
20-07-2024 09:48

Setor do vinho com excesso de ?stock? quer agilização de verbas e vender mais caro
20-07-2024 09:36

Brasil restringe exportações de carne de aves para 44 países após surto de Newcastle
20-07-2024 09:20

OE2025: Luís Montenegro elogia postura construtiva dos partidos nas negociações
20-07-2024 09:13

Portal das Finanças com interrupções no acesso durante duas horas no domingo
20-07-2024 09:07

Investidores deixam CrowdStrike "às escuras" após empresa provocar apagão
19-07-2024 22:25

Wall Street em queda antes das contas das "megacaps"
19-07-2024 21:24

DBRS eleva perspetiva de Portugal para ?positiva?. Rating mantém-se no sexto nível mais elevado
19-07-2024 21:07

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco