ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Código de conduta do novo Governo prevê hipótese de demissão "no caso de violação grave ou reiterada
24/04/2024 11:23

O código de conduta do novo Governo segue o do anterior Executivo ao exigir a rejeição de ofertas ou convites de valor superior a 150 euros. Prevê no entanto a criação de um canal de denúncias e acrescenta que a violação das regras "pode implicar, no caso de violação grave ou reiterada do presente Código de Conduta, a respetiva demissão".  

A resolução de Conselho de Ministros que se aplica aos membros do Governo, dos gabinetes, a todos os dirigentes superiores da administração pública "sob a direção do Governo" e aos dirigentes e gestores de institutos e empresas públicas, foi publicada esta quarta-feira em Diário da República.

Prossecução do interesse público e boa administração, transparência, imparcialidade, probidade, integridade e honestidade, urbanidade, respeito interinstitucional e garantia de confidencialidade quanto a assuntos reservados são os princípios gerais a seguir, de resto idênticos aos que foram estabelecidos pelo anterior executivo em 2022.

Os membros do Governo (e os restantes profissionais abrangidos pelo código) devem abster-se de " qualquer ação ou omissão" que possa ser interpretada como um benefício a alguém ou a alguma organização; rejeitar ofertas ou convites de valor superior a 150 euros como contrapartida de ações, omissões, voto ou influência; utilizar recursos públicos como viaturas ou meios informáticos de forma razoável; e, acrescenta agora o novo executivo, aplicar alguns dos princípios gerais, incluindo integridade e honestidade, na comunicação pública, incluindo através de redes sociais.

 

A resolução assinada pelo ex-primeiro ministro António Costa já dizia que o incumprimento do código de conduta implicava responsabilidade política perante o primeiro-ministro nos casos dos membros do Governo e responsabilidade política perante o membro do governo no caso dos membros de gabinete ou dirigentes, sem prejuízo de outras formas de responsabilidade criminal, disciplinar ou financeira.

 

A nova resolução assinada por Luís Montenegro acrescenta que "a responsabilidade política referida no número anterior pode implicar, no caso de violação grave ou reiterada do presente Código de Conduta, a respetiva demissão."

 

Quanto a potenciais conflitos de interesse, acrescenta o novo código que primeiro-ministro e membros de governo podem "solicitar aos serviços competentes a emissão de parecer sobre a eventual existência de conflitos de interesses".

 

Os membros do governo devem-se abster de receber bens materiais consumíveis ou duradouros ou serviços que possam condicionar a sua imparcialidade e integridade, considerando-se que isso acontece quando tenham um valor igual ou superior a 150 euros. O mesmo acontece no caso de aceitação de convites "ou outros benefícios similares" com valor superior a 150 euros.O valor mantém-se.

Replica-se a exceção que prevê que as ofertas que possam ser interpretadas "pela sua recusa, como uma quebra de respeito interinstitucional, designadamente no âmbito das relações entre Estados, devem ser aceites em nome do Estado", sem prejuízo do dever de apresentação e registo.

 

Tal como já tinha sido referido com a aprovação da resolução em Conselho de Ministros, o código de conduta do novo governo prevê a criação de "um canal de denúncias, comum a todo o Governo, acessível através de um formulário disponibilizado no Portal do Governo".

O documento refere que as regras se aplicam desde a aprovação da resolução, a 19 de abril.

 

 

Ucrânia: Volodymyr Zelensky em Bruxelas antes de viajar para Lisboa
27/05/2024 22:33

Montenegro acusa derrotados de estarem "mais ocupados em geringonçar" do que em ser oposição
27/05/2024 22:02

Eleições/Madeira: PS e JPP propõem solução conjunta de governo
27/05/2024 20:26

Mandatado pelo KKR, Mediobanca já detém mais de 16% da Greenvolt
27/05/2024 19:38

Havas faz um Reality Check Back to the Future
27/05/2024 19:14

Pinto Luz: Negociações com a Vinci para aeroporto Luís de Camões começam em breve
27/05/2024 19:05

Apoio extraordinário à renda mantém-se mesmo com alteração do contrato
27/05/2024 18:43

Executivo aprova regime ?semi-automático? para aproveitamento de imoveis devolutos do Estado
27/05/2024 18:33

Governo revoga Contribuição Extraordinária sobre o Alojamento Local e medida que agrava o IMI
27/05/2024 18:16

Governo avança com regime fiscal para PPR europeu
27/05/2024 18:07

Trabalhadores deslocados vão poder aproveitar valor da renda para pagar menos IRS
27/05/2024 18:01

Radares de Lisboa registam mais de 500 mil infrações em dois anos e rendem à câmara 10 milhões
27/05/2024 17:58

Millennium Talks Aveiro
27/05/2024 17:33

Autoridade da Concorrência sem oposição à compra da MGC pela Barraqueiro
27/05/2024 17:25

Especial aniversário sobre IA: Dia 29 de maio, o Negócios é oferecido
27/05/2024 17:02

Energia dá gás à bolsa nacional. BCP trava maiores ganhos
27/05/2024 16:54

Acordo a assinar com Zelensky tem horizonte de dez anos
27/05/2024 16:46

Reforço da pista do Aeroporto do Porto vai custar 50 milhões de euros
27/05/2024 16:39

CGTP quer aumento salarial e desbloqueio da contratação coletiva
27/05/2024 16:02

Grupo português atinge liderança a laser na Eslováquia
27/05/2024 15:37

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco