ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

China acusa UE de protecionismo após investigação sobre contratos públicos
24/04/2024 11:06

A China acusou esta quarta-feira a União Europeia de protecionismo, depois de Bruxelas ter anunciado uma investigação sobre os contratos públicos chineses para a compra de dispositivos médicos, por suspeita de práticas discriminatórias contra produtos europeus.

"A UE apresenta-se sempre como o mercado mais aberto do mundo, mas tudo o que o mundo exterior pode ver é que está a caminhar gradualmente para o protecionismo", afirmou o porta-voz da diplomacia chinesa, Wang Wenbin, em conferência de imprensa.

Bruxelas declarou esta quarta-feira que suspeita que a China favorece os fornecedores locais no mercado dos dispositivos médicos, nomeadamente através da sua política de "comprar na China", de acordo com o aviso de abertura do inquérito publicado no boletim oficial da UE.

Se estas alegadas medidas discriminatórias não cessarem, o procedimento permitirá à UE penalizar as empresas chinesas nos concursos europeus.

"Exortamos a Europa a cumprir a sua promessa de abertura dos mercados e de concorrência leal, a respeitar as regras da Organização Mundial do Comércio e a deixar de utilizar o mais pequeno pretexto para suprimir e restringir" o acesso das empresas chinesas, insistiu Wang.

"A UE tem utilizado frequentemente os seus instrumentos comerciais e as suas medidas de ajuda ao comércio, mas estas apenas enviam sinais protecionistas, visam as empresas chinesas e prejudicam a imagem da UE", afirmou.

Bruxelas acusou o país asiático de "favorecer a aquisição de dispositivos e serviços médicos nacionais", "restringir a aquisição de bens importados" e impor, nos seus procedimentos de aquisição centralizada de dispositivos médicos, "condições que conduzem a ofertas [de preços] anormalmente baixas que não podem ser suportadas por empresas com fins lucrativos", de acordo com o aviso publicado na quarta-feira.

Estas "medidas e práticas restritivas de importação prejudicam significativa e sistematicamente" as empresas da União Europeia, segundo a Comissão Europeia.

O inquérito terá agora de apurar os factos no prazo de nove meses.

Ucrânia: Volodymyr Zelensky em Bruxelas antes de viajar para Lisboa
27/05/2024 22:33

Montenegro acusa derrotados de estarem "mais ocupados em geringonçar" do que em ser oposição
27/05/2024 22:02

Eleições/Madeira: PS e JPP propõem solução conjunta de governo
27/05/2024 20:26

Mandatado pelo KKR, Mediobanca já detém mais de 16% da Greenvolt
27/05/2024 19:38

Havas faz um Reality Check Back to the Future
27/05/2024 19:14

Pinto Luz: Negociações com a Vinci para aeroporto Luís de Camões começam em breve
27/05/2024 19:05

Apoio extraordinário à renda mantém-se mesmo com alteração do contrato
27/05/2024 18:43

Executivo aprova regime ?semi-automático? para aproveitamento de imoveis devolutos do Estado
27/05/2024 18:33

Governo revoga Contribuição Extraordinária sobre o Alojamento Local e medida que agrava o IMI
27/05/2024 18:16

Governo avança com regime fiscal para PPR europeu
27/05/2024 18:07

Trabalhadores deslocados vão poder aproveitar valor da renda para pagar menos IRS
27/05/2024 18:01

Radares de Lisboa registam mais de 500 mil infrações em dois anos e rendem à câmara 10 milhões
27/05/2024 17:58

Millennium Talks Aveiro
27/05/2024 17:33

Autoridade da Concorrência sem oposição à compra da MGC pela Barraqueiro
27/05/2024 17:25

Especial aniversário sobre IA: Dia 29 de maio, o Negócios é oferecido
27/05/2024 17:02

Energia dá gás à bolsa nacional. BCP trava maiores ganhos
27/05/2024 16:54

Acordo a assinar com Zelensky tem horizonte de dez anos
27/05/2024 16:46

Reforço da pista do Aeroporto do Porto vai custar 50 milhões de euros
27/05/2024 16:39

CGTP quer aumento salarial e desbloqueio da contratação coletiva
27/05/2024 16:02

Grupo português atinge liderança a laser na Eslováquia
27/05/2024 15:37

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco