ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Governo brasileiro suspende publicidade na rede social X após críticas de Musk
13/04/2024 16:12

O Governo brasileiro decidiu não voltar a adquirir campanhas de publicidade no X, após críticas de Elon Musk, dono daquela rede social, que ameaçou não cumprir decisões do Supremo do Brasil. 

O Governo liderado por Lula da Silva não irá gastar mais recursos em promover ações do executivo naquela plataforma, face à contenda com Elon Musk, afirmaram hoje fontes da Secretaria da Comunicação brasileira.

Segundo o Portal da Transparência, o Governo gastou cerca de 650 mil reais (120 mil euros) em comunicação institucional na rede social X, entre 2023, ano em que Lula assumiu o poder, e os primeiros meses de 2024.

A medida, que será aplicada a novos contratos de publicidade, é fundamentada por uma diretriz aprovada em fevereiro que procura evitar ações publicitárias em plataformas, aplicações e outros meios que possam "danificar a imagem das instituições do poder executivo".

A imprensa brasileira noticiou hoje que o representante da rede social no Brasil, o advogado Diego de Lima Gualda, deixou o cargo esta semana.

A polémica começou com uma série de publicações de Elon Musk, que também é dono da Tesla, em que acusou o juiz do Supremo brasileiro Alexandre Moraes, responsável por um processo sobre o uso de redes sociais para a disseminação de notícias falsas, de impor a censura por ter determinado o bloqueio de determinados perfis no X.

Elon Musk ameaçou não obedecer às ordens de bloqueio dessas mesmas contas, afirmando que iria levantar todas as restrições impostas pela justiça brasileira.

Alexandre Moraes instou a rede social a não reativar perfis com ordem de bloqueio ordenada pelo Supremo, sob pena de uma multa diária de 100 mil reais (cerca de 18 mil euros) por cada conta que esteja ativa.

O juiz alertou que "as redes sociais não são terra sem lei e não são terra de ninguém", e que devem respeito absoluto às leis brasileiras.

A 08 de abril, o Supremo brasileiro ordenou a abertura de investigações contra o empresário, por ataques à justiça daquele país sul-americano.

No dia seguinte, o Presidente do Senado brasileiro defendeu ser inevitável a regulação das redes sociais.

Pedro Nuno acusa Governo estar em campanha permanente e simular diálogo sobre habitação
27/05/2024 23:33

Ucrânia: Volodymyr Zelensky em Bruxelas antes de viajar para Lisboa
27/05/2024 22:33

Montenegro acusa derrotados de estarem "mais ocupados em geringonçar" do que em ser oposição
27/05/2024 22:02

Eleições/Madeira: PS e JPP propõem solução conjunta de governo
27/05/2024 20:26

Mandatado pelo KKR, Mediobanca já detém mais de 16% da Greenvolt
27/05/2024 19:38

Havas faz um Reality Check Back to the Future
27/05/2024 19:14

Pinto Luz: Negociações com a Vinci para aeroporto Luís de Camões começam em breve
27/05/2024 19:05

Apoio extraordinário à renda mantém-se mesmo com alteração do contrato
27/05/2024 18:43

Executivo aprova regime ?semi-automático? para aproveitamento de imoveis devolutos do Estado
27/05/2024 18:33

Governo revoga Contribuição Extraordinária sobre o Alojamento Local e medida que agrava o IMI
27/05/2024 18:16

Governo avança com regime fiscal para PPR europeu
27/05/2024 18:07

Trabalhadores deslocados vão poder aproveitar valor da renda para pagar menos IRS
27/05/2024 18:01

Radares de Lisboa registam mais de 500 mil infrações em dois anos e rendem à câmara 10 milhões
27/05/2024 17:58

Millennium Talks Aveiro
27/05/2024 17:33

Autoridade da Concorrência sem oposição à compra da MGC pela Barraqueiro
27/05/2024 17:25

Especial aniversário sobre IA: Dia 29 de maio, o Negócios é oferecido
27/05/2024 17:02

Energia dá gás à bolsa nacional. BCP trava maiores ganhos
27/05/2024 16:54

Acordo a assinar com Zelensky tem horizonte de dez anos
27/05/2024 16:46

Reforço da pista do Aeroporto do Porto vai custar 50 milhões de euros
27/05/2024 16:39

CGTP quer aumento salarial e desbloqueio da contratação coletiva
27/05/2024 16:02

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco