ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Portugueses são os consumidores europeus mais sensíveis ao preço nas compras online
03/04/2024 12:24

Portugal figura como o país europeu, de um universo de 22 analisados, onde os consumidores são mais sensíveis ao preço na hora de fazer compras pela internet, revela o barómetro "e-shopper".

De acordo com o relatório, divulgado esta quarta-feira, 71% dos "e-shoppers" regulares portugueses consideram que comprar online é uma forma de poupar dinheiro, contra os 65% da média europeia. Números que refletem o impacto da inflação na carteira dos portugueses, para quem o preço é o fator mais importante nas suas decisões de compra (76%) ou procura estar sempre atento a um bom negócio (79%).

Realizado pela Geopost, um dos maiores grupos de entrega de encomendas e soluções para o comércio eletrónico, do qual faz parte a DPD, que opera em Portugal, o estudo assinala que outra forma de justificar a sensibilidade dos "e-shoppers" regulares portugueses a esse factor prende-se com os principais motores para uma compra online em que os critérios relacionados com preço são os mais expressivos.

Assim, 49% admitem comprar online pela existência de entregas gratuitas; 28% valorizam a inexistência de taxas escondidas adicionadas ao preço final do produto; enquanto 22% mencionam a devolução gratuita. Uma outra tendência espelhada no relatório tem a ver com o facto da maioria dos "e-shoppers" regulares utilizar websites estrangeiros para comprar online, especialmente para encontrar melhores negócios, ainda mais que a média europeia (73% em Portugal versus 58% na Europa). Espanha (61%), China (58%) e Reino Unido (33%) foram os países onde os portugueses mais compraram online.

"É claro o impacto que a inflação teve no comportamento de consumo dos portugueses em 2023. Se o preço já era uma grande preocupação para o mercado local, os números agora apresentados mostram-nos um contexto onde esta preocupação com o melhor negócio possível se espelha em várias dimensões, desde o cuidado em comprar em períodos em que os descontos são mais expressivos – como a Black Friday e os saldos – até websites e apps estrangeiras como forma de comprar sempre mais barato", refere o CEO da DPD Portugal, Olivier Establet, citado em comunicado.

Compras online voltam a crescer. Livros e tecnologia em contraciclo


A par deste cenário, o barómetro e-shopper 2023 mostra que, após um decréscimo dos consumidores de e-commerce em 2022, este indicador voltou a crescer em 2023 (71% em 2023 vs. 66% em 2022), alcançando valores positivos, apesar de continuar abaixo da média europeia (76%). Só no ano passado, os consumidores online portugueses receberam quatro encomendas em média no mês anterior, tendo comprado uma média de 11 vezes ao longo do ano.

A mais recente edição do barómetro "e-shopper" indica que moda (59%), beleza e saúde (51%) e calçado (41%) foram as categorias de produtos que os "e-shoppers" mais compraram em 2023.  Em contrapartida, as categorias de livros e tecnologia/eletrónica foram as únicas a registar uma quebra na lista do tipo de bens mais comprados pelos portugueses online.

O estudo sinaliza também, apesar de Portugal continuar a totalizar uma percentagem inferior à registada na Europa no que toca ao número de consumidores que utilizam plataformas C2C (de particular para particular, 60% em Portugal versus 72% na Europa), um terço dos "e-shoppers" regulares a nível nacional indicam ter aumentado as compras de produtos em segunda-mão, uma tendência confirmada pelo incremento da frequência de compra dos que compram em plataformas C2C: 48% revelam comprarem nestas plataformas, fazendo-o, em média, 11 vezes por ano (mais 3 vezes que em 2022).

Os motivos que levam às compras em segunda mão voltam a prender-se com o custo, com 65% dos inquiridos a referir ser mais barato do que comprar artigos novos, enquanto 42% destaca o facto desta tipologia de comércio apoiar uma economia mais responsável. Para este processo, as redes sociais continuam a ter um papel importante, sendo utilizadas por 8 em cada 10 "e-shoppers".

Já no que toca ao processo de entrega, o relatório salienta que as entregas em casa estão a perder peso para as entregas Out-of-Home (OOH), cuja utilização continua a crescer e a mostrar um desenvolvimento positivo, com 27% dos "e-shoppers" regulares a utilizar pelo menos um local de entrega OOH, especialmente no que se refere aos "lockers" (cacifos).

"É interessante olhar como pela primeira vez as entregas ao domicílio, apesar de manterem a liderança, baixaram 12 pontos percentuais entre 2022 e 2023. Um cenário que reflete uma crescente fragmentação dos perfis e necessidades de consumo, perante a qual marcas e operadores de entregas terão de responder, ao capacitar-se com uma oferta de entrega cada vez mais diversificada, simplificada e cómoda para os seus clientes, apoiada em entregas fora de casa. Este é o grande passo para os próximos anos no setor das entregas, acompanhado pela transição sustentável", comenta Olivier Establet, citado na nota enviada à imprensa.

O barómetro "e-shopper" 2023 foi conduzido entre 31 de maio e 19 de julho de 2023. Os dados foram recolhidos online, contando com um amostra de 24.233 entrevistas em 22 países europeus, das quais 1.000 em Portugal.

Recibos de salário usados para pressionar Governo
24/07/2024 06:00

EDP Renováveis assina contrato de 24 anos para armazenamento de energia nos EUA
24/07/2024 00:13

Nigéria duplica o salário mínimo para 39,6 euros após aumento do custo de vida
23/07/2024 23:47

Suspensa greve de 4.ª feira da CP após acordo sobre salários e carreiras
23/07/2024 22:59

Despesa em investigação e desenvolvimento atinge 4,5 mil milhões de euros em 2023
23/07/2024 22:32

Alphabet bate expectativas de lucro e receitas trimestrais
23/07/2024 21:31

Lucro trimestral da Tesla recua 45% para 1.478 milhões de dólares
23/07/2024 21:18

Portugal dá ?sinal de confiança? e reforça crédito para Angola
23/07/2024 21:04

Pedro Nuno diz que só "por birra" o Governo não reduz IRS este ano
23/07/2024 19:46

Apple pode vir a lançar iPhone dobrável em 2026
23/07/2024 19:34

Primeiro-ministro respeita decisão do Presidente e pede clarificação a PS e Chega sobre IRS
23/07/2024 19:30

Bruxelas investiga Glovo e Delivery Hero por suspeitas de cartelização
23/07/2024 18:48

Montenegro anuncia reforço da linha de crédito Portugal-Angola em mais 500 milhões de euros
23/07/2024 18:43

Sonangol fechou 2023 com lucro de 1,2 mil milhões
23/07/2024 18:30

Marcelo promulga diploma de recuperação do tempo de serviço docente
23/07/2024 18:18

Vodafone desiste da Nowo, não vai recorrer da decisão da AdC
23/07/2024 18:07

Marcelo Rebelo de Sousa promulga diploma que extingue Scut
23/07/2024 18:00

Marcelo promulga alívio do IRS mas diz que "impacto pode ser só no próximo ano"
23/07/2024 17:52

Contrato na Guiné vai render mais 290 milhões de dólares à Mota-Engil
23/07/2024 17:49

Medway recebe primeiros 20 vagões financiados pelo PRR espanhol
23/07/2024 17:37

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco