ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

OPEP+ vai retirar mais petróleo do mercado
30/11/2023 15:33

Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados – o chamado grupo OPEP+ – decidiram esta quinta-feira cortar adicionalmente a oferta de crude ao mercado na tentativa de impedir que os preços da matéria-prima continuem a cair.

Depois de quatro semanas consecutivas de saldo negativo, esta é a primeira em que o acumulado das sessões tem sinal verde, mas as cotações estão já bem longe dos máximos de meados de outubro, quando em Londres se aproximaram dos 100 dólares devido ao conflito entre Israel e o Hamas.

 

A menor oferta do cartel e seus parceiros – a que se junta um esforço adicional de aperto das torneiras por parte da Arábia Saudita e da Rússia – visa manter os preços sustentados, ou pelo menos impedir que caiam muito, mas a prevista desaceleração económica mundial deixa recear uma menor procura pela matéria-prima, o que tem levado as cotações a cederem terreno.

 

O atual acordo da OPEP+ – e que está previsto vigorar também durante todo o ano de 2024 – prevê um corte conjunto da oferta na ordem dos 3,66 milhões de barris/dia. Além disso, a Arábia Saudita também reduziu, de forma voluntária e unilateral, mais um milhão de barris por dia à sua oferta, tendo a Rússia anunciado igualmente uma diminuição diária extra de 500.000 barris – ambas até pelo menos ao final deste ano. Assim, o total da retirada de crude do mercado ronda atualmente os cinco milhões de barris diários.

 

Agora, duas fontes da OPEP+ disseram à Reuters que já há um acordo preliminar para um corte extra de mais de um milhão de barris por dia – que inclui o milhão adicional dos sauditas até pelo menos ao mês de julho de 2024 (e não apenas até ao final deste ano) e um contributo adicional de mais alguns membros da OPEP+.

Após serem noticiadas estas decisões, os preços do Brent e do West Texas Intermediate ganharam novo fôlego e avançam 1,4% e 1,8% e acumulam um ganho semanal superior a 5%.

(notícia em atualização)

Marques Mendes: Esta vai ser a semana do tudo ou nada
03/03/2024 21:37

Portugal recebeu 118 mil pessoas em 2023 e "metade tinha nacionalidade portuguesa", sublinha Gonçalo
03/03/2024 19:04

A sua semana dia a dia: Acelera época de contas do PSI e BCE reúne-se
03/03/2024 19:00

OPEP+ vai manter cortes até meados do ano
03/03/2024 14:25

Reddit aponta para avaliação que pode chegar aos 6 mil milhões de euros
03/03/2024 11:01

Gonçalo Matias rejeita ?crise de regime ou institucional?
02/03/2024 21:00

Sul-coreana Hanon inaugura novo centro de engenharia em Palmela
02/03/2024 19:00

Sánchez adverte que alma da UE "está em risco" e pede combate à ameaça populista
02/03/2024 12:50

Greve que ameaçava parar comboios a 5 e 7 de março foi desconvocada
02/03/2024 12:14

Cavaco Silva avisa que voto no Chega irá ajudar o PS
02/03/2024 11:25

Ocupação turística no Algarve para a Páscoa com reservas acima de há um ano
02/03/2024 10:27

Medina aplaude subida de "rating". "Todos ficam mais protegidos dos atuais juros altos"
01/03/2024 22:01

S&P 500 e Nasdaq marcam novos recordes com ajuda da inteligência artificial
01/03/2024 21:19

S&P sobe "rating" de Portugal para clube do A
01/03/2024 21:04

MH-1: Portugal regressa ao espaço na segunda-feira a partir da Califórnia
01/03/2024 19:29

Rui Alpalhão: ?Não percebo a ideia de se acabar com as recessões?
01/03/2024 18:00

Número de operações na Caixa Geral de Depósitos cresceu em dia de greve
01/03/2024 17:52

Sonae emite 400 milhões de dívida a quatro anos para financiar OPA sobre Musti
01/03/2024 17:41

A bolha e as sete magníficas
01/03/2024 17:30

Vendas de automóveis crescem 17,5% até fevereiro e já superam 2019
01/03/2024 17:01

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco