ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Sandra Maximiano desconfia de estudos sobre preços das telecomunicações
30/11/2023 13:43

Sandra Maximiano entende que "falta um estudo sério de preços no setor" das telecomunicações. Em audição na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, a especialista que foi indigitada para liderar a Anacom diz que desconfia dos estudos hoje existentes.

"Nós sabemos quais são os preços dos pacotes, o que os pacotes oferecem, mas eu tenho a certeza que nós podemos todos começar até com o mesmo pacote, mas que daqui a dois, três anos temos todos preços diferentes". E isso, acrescenta, "é algo que é desconhecido".

"Eu não sei efetivamente quais são os preços. E a mim custa-me, mesmo estando de fora, acreditar em qualquer informação que saia sobre os preços do setor. Desconfio. Eu desconfio porque, para já, é muito a nível macroeconómico, é [informação] muito agregada, não há nenhum conhecimento profundo e cada um, obviamente, vai puxar a brasa à sua sardinha", afirma Sandra Maximiano.

"E se estamos numa situação de crispação muito grande e de litigância muito grande, ainda mais se gera essa desinformação", atira. "O que temos hoje em dia é uma criação de desinformação dos dois lados", porque "obviamente, se de um lado há a intenção de mostrar que temos os preços mais altos da Europa, de um outro lado vai haver a intenção contrária". A responsável entende que "isso não é bom para os consumidores, que não sabem, efetivamente, o que é que estão a pagar".

Esse é um estudo de que se fala "há largos anos, quase há 10 anos" mas que "nunca foi realizado", lamenta. "Penso que é algo muito importante", diz Sandra Maximiano.

Sobe e desce na semana não impede PSI de fechar em alta. Jerónimo Martins ganha 3%
23/02/2024 16:50

Centeno: BCE deve estar aberto a um corte dos juros em março
23/02/2024 16:15

Preços dos combustíveis aliviam na próxima semana. Gasóleo baixa três cêntimos e gasolina 1,5
23/02/2024 15:38

Negócios vence prémio da Euronext Lisbon
23/02/2024 15:30

EUA anunciam sanções a 500 entidades russas. É o maior pacote desde o início da guerra
23/02/2024 15:10

Volumes de transporte marítimo no Canal do Suez caem 55% numa semana
23/02/2024 14:38

Só 12% dos potenciais ?falsos recibos verdes? foram regularizados. ACT avança com inspeções
23/02/2024 14:25

A era digital e a revolução no posto de trabalho
23/02/2024 14:00

Contas de serviços mínimos bancários crescem 19% para 222 mil
23/02/2024 13:04

CAP vai juntar-se a protesto em Bruxelas em dia de reunião de ministros da Agricultura da UE
23/02/2024 12:50

Engarrafadora da Coca-Cola "bebe" 3.325 milhões de euros em receitas na Península Ibérica
23/02/2024 11:36

Sonangol diz que "há muita pressão" para vender posição no BCP
23/02/2024 11:11

Quebra no investimento penalizou PIB alemão no final de 2023
23/02/2024 10:58

Farfetch fechou escritórios de Braga em setembro
23/02/2024 10:11

Espanha cria observatório para reduzir impacto das alterações climáticas na saúde
23/02/2024 10:03

Advogado do Diabo com Ricardo Rio: "Há uma visão de que tudo se resolve através de políticas fiscais
23/02/2024 10:00

Medina acredita que PIB pode crescer 1,5% em 2024 apesar de previsões pessimistas
23/02/2024 09:34

Limpeza de inscritos no SNS retirou 100 mil das listas
23/02/2024 09:23

Bolsa de Lisboa na linha de água. Corticeira sobe mais de 1% mas Mota-Engil pressiona
23/02/2024 08:15

O Metro a derrapar, a falha no travão à caducidade, a Soma dos Dias e o seu Weekend
23/02/2024 07:30

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco