ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Austríaca co-proprietária do edifício Chrysler pede proteção contra credores
29/11/2023 20:10

A austríaca Signa, do multimilionário austríaco Rene Benko, é a mais recente vítima das dificuldades que atravessam várias empresas europeias do setor do imobiliário.

Benko, um "self-made man", costumava gabar-se que apenas a família real britânica e a Igreja católica detinham mais propriedades de luxo. Esta quarta-feira, a empresa pediu proteção contra credores para poder levar a cabo um processo de reestruturação sob supervisão judicial, o equivalente ao processo especial de revitalização (PER) em Portugal.

No final do ano passado, os ativos da Signa estavam avaliados em 23 mil milhões de euros.

Entre o portefólio da empresa austríaca contava-se, em co-propriedade, o icónico edifício Chrysler, em Manhattan, bem como o Selfridges, em Londres, hotéis de luxo nos Alpes, Veneza e Viena e ainda vários edifícios, residenciais e de serviços, do segmento "premium" localizados na Alemanha, Itália e Áustria.

Caso a Signa venha a colapsar, será a maior falência no imobiliário do Velho Continente desde a crise financeira de 2008.

A queda de um império?
O pedido de proteção contra credores foi solicitado pela Signa Holding, na qual a família Benko detém uma participação de 66%. A empresa indica que o pedido surge "apesar dos esforços nas semanas recentes para obter liquidez necessária para uma reestruturação" que se revelaram "insuficientes".

O Tribunal Comercial de Viena irá nomear um administrador judicial já esta quinta-feira, mas a Signa poderá vender ativos e reestruturar a sua dívida.

Preços dos combustíveis aliviam na próxima semana. Gasóleo baixa três cêntimos e gasolina 1,5
23/02/2024 15:38

Negócios vence prémio da Euronext Lisbon
23/02/2024 15:30

EUA anunciam sanções a 500 entidades russas. É o maior pacote desde o início da guerra
23/02/2024 15:10

Volumes de transporte marítimo no Canal do Suez caem 55% numa semana
23/02/2024 14:38

Só 12% dos potenciais ?falsos recibos verdes? foram regularizados. ACT avança com inspeções
23/02/2024 14:25

A era digital e a revolução no posto de trabalho
23/02/2024 14:00

Contas de serviços mínimos bancários crescem 19% para 222 mil
23/02/2024 13:04

CAP vai juntar-se a protesto em Bruxelas em dia de reunião de ministros da Agricultura da UE
23/02/2024 12:50

Engarrafadora da Coca-Cola "bebe" 3.325 milhões de euros em receitas na Península Ibérica
23/02/2024 11:36

Sonangol diz que "há muita pressão" para vender posição no BCP
23/02/2024 11:11

Quebra no investimento penalizou PIB alemão no final de 2023
23/02/2024 10:58

Farfetch fechou escritórios de Braga em setembro
23/02/2024 10:11

Espanha cria observatório para reduzir impacto das alterações climáticas na saúde
23/02/2024 10:03

Advogado do Diabo com Ricardo Rio: "Há uma visão de que tudo se resolve através de políticas fiscais
23/02/2024 10:00

Medina acredita que PIB pode crescer 1,5% em 2024 apesar de previsões pessimistas
23/02/2024 09:34

Limpeza de inscritos no SNS retirou 100 mil das listas
23/02/2024 09:23

Bolsa de Lisboa na linha de água. Corticeira sobe mais de 1% mas Mota-Engil pressiona
23/02/2024 08:15

O Metro a derrapar, a falha no travão à caducidade, a Soma dos Dias e o seu Weekend
23/02/2024 07:30

Portugueses são os segundos piores da UE em literacia financeira
23/02/2024 00:13

Eleições: Montenegro avisa que voto de protesto "beneficia o infrator" PS
22/02/2024 23:43

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco