ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Jogo da Bolsa: Finanças Artificialmente Inteligentes
29-11-2023 14:00

Todos estamos habituados à existência de bancos tradicionais, mas, com o tempo, a crescente importância das inovações e a ampla utilização de tecnologias mudaram o negócio bancário em todo o mundo. As tecnologias financeiras (fintech) tornaram-se parte integrante do setor financeiro em geral e do setor bancário em particular, este enfrentando uma concorrência crescente de instituições não financeiras. As fintech têm o potencial de desenvolvimento de novos modelos de negócio, aplicações, processos e produtos. De facto, após a crise de 2007-2008, o comportamento dos consumidores, a regulamentação e as tecnologias foram submetidos a profundas mudanças que redefiniram o ambiente financeiro quebrando as barreiras à entrada de novos concorrentes nesta muito competitiva arena. Os fatores críticos do sucesso assentaram na inovação e na criatividade para remodelar os produtos financeiros, os pagamentos, os modelos de negócio, os intervenientes no mercado e a respetiva estrutura e até o próprio dinheiro. Assim, as fintech têm vindo a conquistar boa parte do negócio das instituições financeiras tradicionais e as crises desempenharam um papel determinante (com efeito, todos nos lembramos como a pandemia veio acelerar esta tendência), pois têm sido capazes de se adaptar e dar respostas rápidas às novas realidades impostas durante as negativas conjunturas globais, fornecendo soluções que vão ao encontro das necessidades, em constante mudança, dos consumidores.

No entanto, a decisão de investimento em inteligência artificial, suporte do funcionamento das FinTech, não é fácil nem imediato. A exposição de uma empresa na área das tecnologias de ponta, não obstante poder estar bem posicionada para aproveitar oportunidades de negócio, tenderá a desenvolver parcerias na cadeia de valor que permitam expandir as oportunidades de negócio e os resultados, mas o aumento da competitividade poderá esmagar margens e as receitas poderão não ser tão grandes como o mercado espera. O recente aumento na cotação da Microsoft poderá estar associado a um excesso de entusiasmo em torno da inteligência artificial gerador de um ciclo de expectativas, típico no negócio das tecnologias, em que a overreaction se instala e, meteoricamente, uma inovação atinge um excessivo entusiasmo, para logo passar a desilusão quando se compreende a sua real relevância. Já assistimos a este filme, "déjà vu" de "dot.com bubble".

As principais áreas em que as empresas fintech têm sido capazes de capitalizar simpatias são a dos pagamentos digitais instantâneos e sem contacto, software de pagamento móvel, carteiras digitais e pagamentos por código QR. Focalizando-nos em tópicos mais associados a este extraordinário Jogo da Bolsa-Negócios, como por exemplo a gestão e consultoria digital de portfolios de activos financeiros, o estado da arte está já muito adiantado.

Os robôs-consultores permitem que os clientes construam e mantenham carteiras de investimento que se destinam a ser adequadas ao seu perfil de risco e objetivos financeiros de forma fácil, rápida e barata, recorrendo a fundos indexados e a estratégias de investimento passivas, que também têm vindo a ganhar popularidade na última década.

O surgimento e o crescimento dos serviços de consultoria robótica também beneficiaram de uma conjuntura de rápido crescimento nos mercados financeiros o que, juntamente com um ambiente de baixas taxas de juro nas economias desenvolvidas, aumentou o interesse dos cidadãos médios pelos mercados financeiros, por oposição a alternativas mais tradicionais e conservadoras, como os depósitos bancários que já ‘tardam’ a render juros. Após mais de uma década desde o lançamento do primeiro consultor financeiro automatizado, o mercado da consultoria robótica continua numa fase de desenvolvimento. Esta revolução das fintech, que começou por ser liderada por start-ups emergentes, tem vindo a assistir progressivamente à entrada dos pesos pesados no mercado europeu.

Por fim, existem riscos decorrentes da rápida evolução das tecnologias financeiras, mas esse tema, por falta de carateres, terá de ficar para outro artigo.



IMF ? Índice PCE: Inflação dos EUA subiu em janeiro
04-03-2024 13:30

Sindicato dos trabalhadores contraria CGD e reafirma 70% de adesão "massiva" à greve
04-03-2024 12:55

Bruxelas multa Apple em 1,8 mil milhões de euros. Empresa da maçã vai recorrer
04-03-2024 12:46

Sumol+Compal sobe salário base para 860 euros
04-03-2024 11:53

Juro dos novos depósitos desceu em janeiro. É o primeiro recuo desde setembro de 2022
04-03-2024 11:15

Bitcoin supera os 65 mil dólares. Está a menos de quatro mil do recorde absoluto
04-03-2024 11:12

Savannah já tem "short list" de parceiros para a mina de Boticas e procura financiamento
04-03-2024 11:05

Lidl investe 9,5 milhões de euros em nova loja em Loulé
04-03-2024 10:54

Mário Leite Silva acusa Angola de boicotar os seus requerimentos
04-03-2024 10:47

Brasileira TSBetc escolhe o Porto para instalar a sua primeira base internacional
04-03-2024 10:10

Novo Banco quer vender bens de Luís Filipe Vieira em Portugal
04-03-2024 09:47

Revolut avança com sucursal em Portugal e obtenção de IBAN nacional
04-03-2024 09:36

Empresa quer impulsionar construção de pontes em madeira em Portugal e Espanha
04-03-2024 09:30

Mota-Engil e Galp dão ânimo à bolsa de Lisboa
04-03-2024 08:16

5 coisas que precisa de saber para começar o dia
04-03-2024 07:30

O peso das exportações no PIB, as propostas dos partidos para Segurança Social e as fortunas
04-03-2024 07:01

Marques Mendes: Esta vai ser a semana do tudo ou nada
03-03-2024 21:37

Portugal recebeu 118 mil pessoas em 2023 e "metade tinha nacionalidade portuguesa", sublinha Gonçalo
03-03-2024 19:04

A sua semana dia a dia: Acelera época de contas do PSI e BCE reúne-se
03-03-2024 19:00

OPEP+ vai manter cortes até meados do ano
03-03-2024 14:25

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco