Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Imobiliário obrigado a reportar negócios de três em três meses
22/02/2020 11:06

As novas regras de prevenção do branqueamento de capitais vão obrigar o sector imobiliário a comunicar ao regulador todas as transações imobiliárias numa base trimestral, indicando os valores, os meios de pagamento e os números das contas de pagamento utilizadas, noticia o Expresso. A ideia é que o Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção (IMPIC), que hoje em dia recebe esta informação de seis em seis meses, possa fazer uma análise mais atempada dos negócios e comunicar às autoridades irregularidades ou suspeitas de ilegalidade, leia-se, de lavagem de dinheiro.
 
Em causa está uma proposta de lei aprovada na passada quinta-feira em Conselho de Ministros através do qual se fará a transposição para a legislação nacional da quinta-diretiva comunitária sobre branqueamento de capitais.
 
Haverá também novas obrigações de comunicação de operações suspeitas por parte de todos os profissionais que prestem consultoria fiscal, fundos de pensões que financiem planos de pensões cujos participantes sejam membros de órgãos de administração ou galerias de arte e comerciantes de ouro ou metais preciosos sempre que estejam em causa negócios acima de dez mil euros (atualmente o teto são os 15 mil euros)
 
Já os pequenos comerciantes terão algum alívio, pois deixam de ter de identificar clientes ou de analisar as transações, a menos que façam vendas em dinheiro vivo acima dos três mil euros.
 
A diretiva regula também as criptomoedas no que ao branqueamento de capitais diz respeito e, nesse sentido, a lei nacional terá também novas regras e uma vigilância mais apertada. A proposta de lei aprovada pelo Governo, escreve o Expresso, vem assim obrigar os prestadores de serviços na área do dinheiro virtual a aplicarem regras de prevenção de branqueamento, nomeadamente através da identificação dos seus clientes.
 
A nova lei prevê também, tal como o Governo tinha já anunciado, uma simplificação dos procedimentos de inscrição no Registo Central do Beneficiário Efetivo.

JPMorgan diz que ainda é muito cedo para comprar ações
01/04/2020 11:29

Espanha ultrapassa os 100 mil infetados e tem mais de 9 mil mortos com covid-19
01/04/2020 10:49

Produção da indústria italiana com quebra recorde em março
01/04/2020 10:49

Governo autoriza emissão de dívida até 89 mil milhões em 2020
01/04/2020 10:29

Portugueses "explodem" cartão de crédito para garantir liquidez
01/04/2020 09:49

PSI-20 cai mais de 2% com maioria das cotadas no vermelho
01/04/2020 08:15

Trump suspende algumas tarifas comerciais durante 90 dias
01/04/2020 00:08

Sonae Indústria passa de lucros em 2018 a prejuízos em 2019
31/03/2020 22:22

Dow escapa aos ursos mas regista o pior primeiro trimestre de sempre
31/03/2020 21:05

Governo garante que apoios a trabalhadores independentes serão pagos em abril
31/03/2020 20:42

Lay-off da TAP para 90% dos trabalhadores tem início a 2 de abril
31/03/2020 19:08

"Chatbot" luso-alemão dá respostas inteligentes à covid-19
31/03/2020 18:02

Como sair do congelador
31/03/2020 17:38

Itália já com mais de 12.400 mortes pela covid-19
31/03/2020 17:31

Tabaqueira disponibiliza material de proteção a pontos de venda
31/03/2020 17:20

Bolsa nacional sobe mais de 2% à boleia da EDP e Galp
31/03/2020 16:45

Portugal avança com emissão sindicada a sete anos
31/03/2020 14:54

Von der Leyen alerta contra reforço indiscriminado de poder a pensar em Orbán
31/03/2020 14:50

Marcelo antevê continuação da emergência: "impõe-se manter medidas de contenção"
31/03/2020 14:50

Produtores pedem ajuda ao Governo para evitar destruição de pequenos frutos
31/03/2020 14:35

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco