Alemanha estuda fusão entre o Commerzbank e o holandês ING 06-06-2019 13:35:00

Depois do fracasso das negociações para a fusão entre o Commerzbank e o Deutsche Bank, o governo alemão está agora a considerar a hipótese de avançar com uma fusão entre o Commerzbank e o holandês ING.
De acordo com a Bloomberg, que cita fontes ligadas às conversações, o tema foi debatido no início de maio, numa reunião realizada em Berlim com o ministro das Finanças holandês Wopke Hoekstra, e o ministro-adjunto das Finanças da Alemanha Joerg Kukies.
Segundo as mesmas fontes, Berlim mostrou a intenção de que qualquer nova entidade que venha a surgir seja sediada na Alemanha.
Após a notícia, as ações do Commerzbank subiram 4,13% para 6,61 euros, enquanto o ING valorizou um máximo de 2% para 10,088 euros.
Além do ING, também o Unicredit já mostrou interesse numa fusão com o banco alemão, que é detido em 15,5% pelo Estado, o maior acionista.
A possibilidade de juntar o Commerzbank com uma entidade estrangeira está em linha com a mudança de posição demonstrada pelo ministro alemão das Finanças Olaf Scholz que, após o colapso das negociações com o Deutsche Bank, passou a apoiar a ideia de uma fusão transfronteiriça, em vez da formação de um campeão nacional.
"Precisamos de grandes bancos europeus a operarem na Alemanha", afirmou o ministro a 30 de abril, dias depois do fim das conversações com o Deutsche Bank.
Ainda que o governo alemão esteja a sondar o apetite pelo Commerzbank, as fontes citadas pela Bloomberg garantem que uma eventual fusão não deverá avançar este ano, porque o Executivo quer ver primeiro alguns progressos ao nível da integração e regulação da banca a nível europeu.
Segundo a Manager Magazin, no seu dia do investidor em Frankfurt, o CEO do ING destacou a importância da Alemanha para o banco, abrindo até a porta a uma mudança da sua sede de Amesterdão para Frankfurt.