Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Lojas podem vender à porta, ao domicílio ou à distância com recolha no estabelecimento
14/01/2021 15:43

As lojas que não são de bens alimentares têm ordem para encerrar, mas podem continuar a funcionar para entregas ao domicílio, vendas ao postigo e para recolha de produtos comprados de forma remota.

Esta é a leitura que decorre do artigo 15.º que se refere à suspensão de atividades de instalações e estabelecimentos, mas que não se aplica ao comércio grossista, e ainda aos estabelecimentos com vendas por essa via.

Segundo o diploma, publicado em Diário da República, a suspensão das atividades de comércio a retalho e de prestação de serviços em estabelecimentos abertos ao público não se aplica "aos estabelecimentos que pretendam manter a respetiva atividade exclusivamente para efeitos de entrega ao domicílio ou disponibilização dos bens à porta do estabelecimento, ao postigo ou através de serviço de recolha de produtos adquiridos previamente através de meios de comunicação à distância (click and collect), estando nestes casos interdito o acesso ao interior do estabelecimento pelo público".

Ou seja, os estabelecimentos, como livrarias - mas o diploma permite a todo o género de comércio essa possibilidade -, podem vender à distância e os consumidores irem buscar, mas não podem entrar na loja. Podem também vender com postigo, à porta do estabelecimento. Ou com entrega ao domicílio.


Ministro da economia pode limitar venda nos hipermercados
De igual forma, o diploma publicado em Diário da República dá margem ao ministro da Economia para limitar as vendas nos hipermercados e supermercados que vendem produtos sem ser bens essenciais (artigo 25.º).

Assim, "o membro do Governo responsável pela área da economia pode, mediante despacho, determinar que os estabelecimentos de comércio a retalho que comercializem mais do que um tipo de bem e cuja atividade seja permitida no âmbito do presente decreto não possam comercializar bens tipicamente comercializados nos estabelecimentos de comércio a retalho encerrados ou com a atividade suspensa nos termos do presente decreto", lê-se no diploma final, tal como o Público já tinha adiantado.

O despacho, a ser feito, tem de especificar os bens ou categorias de bens que estão abrangidos pela limitação de comercialização.

 

PSI-20 cai pelo terceiro dia com BCP e Galp a penalizar
22/01/2021 08:16

Eurosondagem: Marcelo ganha à 1.ª volta e Ana Gomes em segundo
22/01/2021 07:37

A abstenção indesejada, o novo cargo de Horta Osório, o seu Weekend e muito mais
22/01/2021 07:00

Covid-19: Governo prepara fundo de apoio extraordinário para o desporto
22/01/2021 01:21

Transportes rodoviários reduzidos na AMLisboa durante o encerramento das escolas
22/01/2021 00:51

Congressista republicana apresenta pedido de impeachment de Joe Biden
21/01/2021 23:52

Costa: Sem imprevistos Portugal terá 70% dos adultos vacinados no fim do verão
21/01/2021 23:05

Produção de eletricidade da EDP cai 4% em 2020. Consumo em Portugal desce 5%
21/01/2021 22:48

Quem for vacinado deve ter documento que o comprove
21/01/2021 22:10

Bastonário alerta que já há hospitais a fazer medicina de catástrofe
21/01/2021 21:48

Ministro esclarece que ensino particular também suspende aulas
21/01/2021 21:33

Wall Street renova máximos com foco em resultados
21/01/2021 21:21

Supremo nega recurso a João Rendeiro e confirma pena de prisão efetiva
21/01/2021 20:57

Suspensão de aulas compensada no Carnaval, Páscoa e verão. Ministro admite aulas à distância após 5
21/01/2021 20:49

5G: Propostas sobem mais de 1,9 milhões para 196 milhões de euros no 6.º dia de licitação
21/01/2021 20:31

Emergência nacional
21/01/2021 20:14

Enfermeiros denunciam casos de vacinações sem indicação
21/01/2021 20:05

Governo agrava multas para quem incumprir regras covid mais que uma vez
21/01/2021 19:29

Rui Rio: Situação "não é muito diferente de guerra" e "é preciso dar um abanão para ver se governo e
21/01/2021 19:16

Creches pedem clarificação rápida dos apoios aplicáveis aos funcionários
21/01/2021 18:33

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco