Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Wall Street à deriva sem conclusão das negociações comerciais e à espera dos resultados
14/10/2019 21:17

As bolsas dos EUA fecharam com quedas ligeiras, com os investidores a refletirem a deceção pela ausência de um acordo comercial, ainda que parcial, assinado entre os EUA e a China.
 
O Dow Jones cedeu 0,11% para 26.787,36 pontos, o Nasdaq recuou 0,1% para 8.048,65 pontos e o S&P500 caiu 0,14% para 2.966,15 pontos.
 
Na sexta-feira foi anunciado este acordo, o que animou os investidores. Contudo, a assinatura do mesmo – que prevê que a China compre mais bens agrícolas aos EUA e Washington suspenda o agravamento das tarifas sobre a China previsto para outubro – só deverá acontecer em novembro. Num tema que tem gerado tantos passos à frente e atrás, os investidores parecem já não acreditar em boas intenções, o que acabou por pesar na negociação bolsista.
 
Ao mesmo tempo, os investidores deverão agora focar-se na apresentação de resultados do terceiro trimestre, com a banca a dar o tiro de partida esta terça-feira. Os números de terceiro trimestre são relevantes, mas não tanto pelo que aconteceu neste período e sim pelo que está para vir. O mercado espera que as empresas deixem pistas sobre o que esperam para o total do ano e também para 2020.
"Os investidores estão a virar-se para o que realmente interessa e que são os resultados das empresas", realçou Chuck Carlson, da Horizon Investment, citado pela Reuters.
 
Os analistas preveem que os lucros as cotadas do S&P500 tenham caído 3,2% no terceiro trimestre, segundo os dados da Refinitiv. Se se confirmar esta será a primeira quebra dos lucros desde a última recessão de lucros, que terminou em 2016. Esta redução compara com um aumento de 12,1% há um ano e de 0,8% no trimestre anterior.
Entre as cotadas destaque para a Nike, que subiu mais de 1%, depois de ter sido alvo de uma nota de análise do Bank of America Merrill Lynch.
 
A empresa de construção e engenharia AECOM disparou mais de 6% depois de ter anunciado que vendeu a sua unidade de serviços de gestão a uma "private equity", pode cerca de 2,4 mil milhões de dólares.

Receios na frente comercial voltam a abalar e nem a Boeing dá asas a Wall Street
11/11/2019 21:07

Barril de Brent vai ter um rival no Médio Oriente
11/11/2019 19:18

Fecho dos mercados: Guerra comercial volta a afastar Europa de máximos. Libra atinge pico de seis me
11/11/2019 17:36

Adidas vai encerrar "speedfactories" na Europa e Estados Unidos
11/11/2019 17:22

PSI-20 cai pelo segundo dia com BCP a perder 1%
11/11/2019 16:41

Woody Allen e Amazon põem fim a disputa de 68 milhões
11/11/2019 16:38

Kalanick vende 20% da posição na Uber após o período de "lockup"
11/11/2019 16:15

Quer viver na Arábia Saudita? Príncipe Salman vende vistos por 193 mil euros
11/11/2019 15:34

Negociações comerciais e Hong Kong ensombram Wall Street
11/11/2019 14:38

Loução atravessou Continentes e Mosqueteiros para aterrar na Makro de Alfragide
11/11/2019 14:20

Atividade da indústria portuguesa voltou a cair em setembro
11/11/2019 11:36

Alibaba bate recorde de mais de 30 mil milhões em vendas no dia dos solteiros
11/11/2019 11:24

Relógio Patek Philippe leiloado por um recorde de 31 milhões
11/11/2019 10:35

Banca europeia reduz malparado para 3% do crédito total. Portugal baixa para 10,5%
11/11/2019 10:35

Líder do Ciudadanos demite-se após perder 47 deputados nas eleições
11/11/2019 10:30

Economia britânica cresce no terceiro trimestre e escapa à recessão
11/11/2019 10:02

PSI-20 recua de máximos de maio com Hong Kong a pressionar Europa
11/11/2019 08:12

Independentistas saem reforçados na Catalunha
10/11/2019 23:55

PSOE vence mas pouco. Bloqueio agrava-se com subida do PP e Vox
10/11/2019 22:12

Evo Morales demite-se da presidência da Bolívia
10/11/2019 21:18

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco