Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Arábia Saudita diz ter provas que Irão atacou produção petrolífera
18/09/2019 12:12

A Arábia Saudita afirma que vai apresentar provas, já esta quarta-feira, que ligam o Irão ao ataque sobre a produção de petróleo saudita, avança a Reuters. Depois de os Estados Unidos já terem admitido a mesma suspeita, as tensões no Médio Oriente voltam a subir.
O ministro da defesa saudita marcou uma conferência de imprensa para a tarde de quarta-feira para apresentar "provas substanciais e armas iranianas que provam o envolvimento do regime no ataque terrorista", cita a agência de notícias.
Em causa está o ataque infligido sobre infra-estruturas da maior produtora de petróleo saudita, a Saudi Aramco, o qual teve lugar no último dia 14 de Setembro e causou uma disrupção de metade do que o reino produz, o que equivale a 5% da oferta mundial.
O Irão já negou o envolvimento no incidente. "Eles querem impor pressão máxima sobre o Irão através de difamação", respondeu o presidente iraniano, Hassan Rouhani (na foto), de acordo com os media estatais. "Nós não queremos conflitos na região… quem começou os conflitos?", continua o presidente, numa acusação aos Estados Unidos.
O líder da Casa Branca, Donald Trump, já afirmou que o Irão aparentava ser responsável pelo ataque à produção saudita e que ponderava retaliar, embora tivesse também ressalvado que não queria iniciar uma guerra e que "não há pressa" no contra-ataque.
Anteriormente, os rebeldes iemnitas hutis reivindicaram os ataques mas os drones foram identificados como sendo iranianos (os hutis, recorde-se, são apoiados politicamente pelo Irão, grande rival regional da Arábia Saudita), o que fez recrudescer também as tensões entre Washington e Teerão.
Na sequência do ataque, os preços da matéria-prima disparar automaticamente quase 20% - para corrigirem depois de noticiado que no final do mês a produção voltará aos níveis anteriores ao incidente.

Natixis injeta juristas e financeiros no centro tecnológico do Porto
17/02/2020 15:17

Centeno espera que coronavírus tenha "efeito temporário"
17/02/2020 14:27

CEO dos CTT critica declarações "injustas" da Anacom sobre foco na qualidade dos serviços
17/02/2020 14:17

Mercadona "pica" supermercado em Viana do Castelo
17/02/2020 13:41

Ironman procura novo dono por mil milhões
17/02/2020 13:22

OMC antecipa mau arranque do comércio mundial em 2020. Covid-19 pode ter impacto
17/02/2020 13:05

Mota-Engil ganha contrato para projeto hidroelétrico de 270 milhões na Colômbia
17/02/2020 13:05

Gigante dos portos do Dubai vai sair de bolsa
17/02/2020 12:28

Têxteis montam feira no aeroporto para tentar descolar nas exportações
17/02/2020 11:55

IMF ? Franco suíço atinge máximos de 2015 face ao euro, com aumento da aversão ao risco
17/02/2020 11:40

Fesap: Governo quer discutir férias, aumentos e subsídio de refeição até 2021
17/02/2020 11:40

Reino Unido investe 1,4 mil milhões em supercomputador para monitorizar o clima
17/02/2020 11:29

Novo caso suspeito de coronavírus em Portugal. Mulher chinesa internada em Lisboa
17/02/2020 10:30

Casinos em Macau vão reabrir após fecho por causa do vírus
17/02/2020 10:27

Motoristas de TVDE já superam taxistas em Lisboa e Porto
17/02/2020 10:27

PSI-20 guina para o verde com BCP e papeleiras ao volante
17/02/2020 08:09

A reunião do Eurogrupo e outras 4 coisas que precisa de saber para começar o dia
17/02/2020 07:30

Já morreram 1.765 pessoas devido ao cornavírus
17/02/2020 01:11

Economia japonesa com maior contração em cinco anos. Fantasma de recessão ressurge.
17/02/2020 00:32

Marques Mendes: Costa já está na fase descendente
16/02/2020 21:38

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco