Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Dona do Minipreço recruta diretor comercial com "escola Lidl"
05-08-2019 11:50

Dawid Jaschok, que em seis anos ajudou o Lidl a disparar as vendas de 33 para 55 mil milhões de euros e a entrar em sete novos mercados europeus, acaba de ser contratado para a direção comercial do Grupo Dia, dono do Minipreço em Portugal, que em maio substituiu toda a administração de topo.
 
Especializado em logística, vendas e marketing, o gestor de 45 anos junta-se novamente a Karl-Heinz Holland, atual CEO do grupo, com quem já tinha trabalhado na cadeia alemã. Saíram ambos em março de 2014 por divergências "incorrigíveis" com a direção sobre a gestão e a estratégia de futuro.
 
Numa fase em que a empresa atravessa um processo de reestruturação depois do sucesso da OPA lançada pelo milionário russo Mikhail Fridman, que passou a deter 69,76% do capital, Jaschok irá "afinar as estratégias comerciais, de marketing e de e-commerce" do grupo e "desenvolver um novo formato de retalho que assegure um modelo de negócio futuro sustentável".
 
Numa nota de imprensa, o grupo informa que o gestor de nacionalidade polaca e alemã, com 19 anos de experiência – e os últimos cinco dedicados a lançar a Konsimo, uma marca de mobiliário e artigos para o lar – será membro do comité executivo da cadeia de supermercados, com responsabilidades comerciais e de marketing sobre os quatro mercados de atuação do grupo: Espanha, Portugal, Brasil e Argentina.
 
O cenário de um pedido de insolvência e proteção contra credores por parte do grupo retalhista de origem espanhola foi afastado a 20 de maio, com o anúncio de um acordo entre o LetterOne, fundo de Fridman que detém a participação no Dia, e os 17 bancos credores para refinanciar a dívida da rede de supermercados, que estava pendente da aceitação por parte do Santander.
 
O acordo a longo prazo com os credores, entre os quais também o BBVA, Barclays, Caixa Bank, Deutsche Bank, ING, Postbank, SocGen, Mitsubishi, Bankia e BNP Paribas, garantiu o acesso a 771 milhões de euros de liquidez. Como anunciado no final de junho pelo grupo, este dinheiro poderá ser utilizado nos próximos quatro anos para assegurar a continuação do negócio e o seu reposicionamento para ser competitivo a longo prazo.

Manuel Monteiro está de regresso ao CDS
21-09-2019 12:49

Como ficará a Cofina após a compra da Media Capital
21-09-2019 12:27

Cofina mantém diferentes linhas editoriais e aposta na criação de conteúdos para exportar
21-09-2019 11:30

Cofina lança OPA sobre a dona da TVI, numa operação de 255 milhões
21-09-2019 09:34

TAP Miles & Go ganha três prémios em Londres
20-09-2019 23:26

BCP coloca 450 milhões em dívida subordinada com juro nos 3,871%
20-09-2019 21:30

Estado injeta mais 18,4 milhões de euros na CP
20-09-2019 16:47

BCP cai mais de 3% e PSI-20 resvala para o vermelho
20-09-2019 16:47

Google vai investir 3 mil milhões para expandir centros de dados na Europa
20-09-2019 15:47

Contratos da semana: Câmara de Lisboa vai gastar mais de meio milhão contra praga de baratas
20-09-2019 12:59

Sonae IM investe na canadiana Daisy
20-09-2019 12:18

Ordem dos Enfermeiros paga 36 mil euros para ter personagem em telenovela da SIC
20-09-2019 11:56

Volume de negócios das empresas abranda em 2018
20-09-2019 11:40

Subida dos preços das casas volta a acelerar. Sobem mais de 10%
20-09-2019 11:03

Grupo Radisson abre dois hotéis em Portugal
20-09-2019 10:56

Forte aumento dos combustíveis após ataques na Arábia Saudita. Gasolina pode subir 4 cêntimos
20-09-2019 10:06

Abertura dos mercados: Europa à deriva após decisões de bancos centrais. Libra em máximos
20-09-2019 09:17

BCP paga mais de 4% para emitir até 500 milhões em dívida subordinada
20-09-2019 08:53

Jerónimo Martins pressiona abertura da bolsa
20-09-2019 08:34

Rio, o homem que quer pôr o jornalismo na ordem
19-09-2019 20:25

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco