Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Trump promete deixar de falar com os filhos? sobre negócios
11/01/2017 19:08

Donald Trump assegura que irá constituir uma espécie de bolha que o deixará distante e independente face à organização Trump (Trump Organization), constituída por centenas de empresas controladas pelo presidente eleito dos Estados Unidos. 
 
Na primeira conferência de imprensa dada em seis meses, e que teve lugar esta quarta-feira, 11 de Janeiro, em Nova Iorque, o magnata do imobiliário insistiu que não existe qualquer conflito de interesses que o impeçam de exercer o mandato presidencial conquistado nas eleições do passado dia 8 de Novembro.
 
Trump começou por notar que transferiu a gestão e bens de todas as suas empresas e negócios para os seus dois filhos mais velhos, Don Jr. e Eric. Para o confirmar, levou para a conferência de imprensa uma pilha de documentos que constituem "apenas alguns dos documentos que assinei para transferir o controlo total para os meus filhos".
 
Trump says the pile of files are some of the "many documents" he's signed turning over his company to his sons https://t.co/Y26qD43Pbq pic.twitter.com/1K126tq1i9
— Yahoo News (@YahooNews) 11 de janeiro de 2017 A advogada de Trump, Sheri Dillon, explicaria depois as questões técnicas, insistindo que as leis norte-americanas que enquadram os comportamentos susceptíveis da existência de conflitos de interesses não se aplicam ao presidente, nem ao vice-presidente do país. A este respeito, Trump sublinhou que "poderia gerir os meus negócios e o Governo ao mesmo tempo (…) mas não quero".
 
A advogada acrescentaria de seguida que o futuro presidente "só terá conhecimento dos negócios pelos jornais ou pela televisão" e, mostrando o comprometimento de Trump com esta decisão, Sheri Dillon revelou ainda que o presidente eleito não voltará a "falar com os filhos sobre os negócios". Desta forma o futuro presidente ficará "completamente isolado dos seus negócios".
 
Tal como fizera o presidente eleito, também a sua advogada reiteraria que o objectivo de Trump passa por ficar "completamente isolado dos seus negócios", garantindo assim que não reste qualquer sombra de dúvidas aos cidadãos norte-americanos.
 
Sheri Dillon acrescentaria ainda que as empresas com a chancela Trump não farão negócios com entidades estrangeiras durante os quatro anos do mandato presidencial e que as empresas da Trump Organization irão doar tudo aquilo que for pago por Governos estrangeiros nos hotéis Trump, para que assim "os cidadãos americanos também possam ficar a ganhar".
 
A finalizar, Sheri Dillon mostrou algum espanto com o facto de os media não se terem "preocupado tanto" quando se tratou da nomeação de Nelson Rockefeller como vice-presidente dos EUA, lembrando que "não se pode esperar que Trump destrua a empresa que construiu".
 
Nota ainda para uma outra garantia dada pelo presidente eleito que, questionado sobre se acabará por divulgar a sua declaração de impostos, disse que não. "Não vou divulgar as minhas declarações de impostos" porque "estão a ser auditadas", disse Trump sustentando que são os jornalistas que querem ver essa informação enquanto as restantes "pessoas não".

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco